Passo a passo para montar enxoval do bebê pela internet

Especialista dá oito dicas para não errar na hora de comprar as roupinhas e demais produtos
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Imagem: Pixabay
Imagem: Pixabay

Neste período de pandemia de novo coronavírus as gestantes estão precisando se virar nos 30 para conseguir fazer o enxoval com segurança, sem sair de casa. A boa notícia é que – devido ao isolamento social – diversas empresas que não vendiam pela internet começaram a trabalhar com este formato.

Para ajudar as mães com um passo a passo para o enxoval on-line, trouxemos as dicas da fundadora da Ops!Cresci, Natália Mennocchi. Por conta de uma gestação gemelar, ela precisou desacelerar a partir da 26ª semana e recorreu à internet para deixar tudo pronto para a chegada de suas meninas.

Confira as dicas:
  • Faça uma lista objetiva

O primeiro passo, assim como no enxoval presencial, é definir a lista de produtos. Além das listas disponíveis na internet, vale a pena conversar com amigas que tiveram filhos recentemente para saber se todos os itens realmente são usados no dia a dia. O mercado de produtos infantis lança produtos constantemente, mas nem todos eles são realmente essenciais.

  • Invista nos seminovos

A tendência das mães de primeira viagem é querer comprar tudo novo. No entanto, quem tem filho sabe que o bebê cresce muito rápido e, muitas vezes, não usa tudo o que foi comprado. Por isso, adquirir produtos seminovos acaba sendo uma excelente forma de economizar. A dica mais importante neste caso é fazer a transação por meio de plataformas seguras que possam garantir a qualidade dos produtos e a devolução do dinheiro se a peça não for enviada. Há diversos grupos de vendas entre mães nas redes sociais, mas é comum ver relatos de produtos que não foram enviados ou que chegaram em estado diferente do anunciado.

“Eu recomendo que a mãe compre de segunda mão tudo aquilo que estiver disponível e em boas condições, desde roupas até o carrinho”, diz Natália. Segundo a empresária, um dos itens usados que poucas mães pensam em comprar, por exemplo, é o macacão de maternidade. Como ele é usado apenas na maternidade e em poucas visitas, acaba sendo vendido em estado de novo.

  • Pesquise a reputação das lojas

Se você não for comprar apenas em lojas com endereços físicos ou marcas famosas, investigue a reputação dos e-commerces no Reclame Aqui e nas redes sociais. “É importante lembrar que um site bonito não significa, necessariamente, que a loja é confiável. Eu recomendo entrar nas redes sociais e ler os comentários feitos por outras mães”, explica Natália.

  • Verifique as formas de pagamento

Ao acessar a loja, veja se as formas de pagamento estão de acordo com o meio que você deseja pagar. Observe se o site conta com cadeado na barra de endereços e selos de segurança. E em caso de pagamento com cartão, opte por gerar um cartão on-line para fazer a transação.

  • Pesquise os preços

Um mesmo produto pode ter uma enorme variação de preço. Por isso, uma boa dica é recorrer aos sites de pesquisa de preço que permitem comparar valores e, inclusive, criar alertas.

  • Utilize cupons de desconto

Muitas lojas virtuais oferecem cupons de desconto em suas redes sociais ou para a primeira compra feita pelo cliente. Certifique-se de aproveitar essas oportunidades.

  • Confira o prazo de entrega

Algumas lojas de artigos de bebê contam com prazo de entrega superior a 30 dias por venderem produtos importados ou fabricados em cidades do interior. Por isso, verifique se o prazo faz sentido para a sua necessidade.

  • Economize no frete

O grande vilão das compras virtuais acaba sendo o frete. Por isso, faça as contas e tente concentrar as compras em poucas lojas. Verifique também aquelas que oferecem frete grátis a partir de determinado valor e as que permitem fazer a compra on-line com retirada na loja.

É importante lembrar que, independentemente da pandemia, nem sempre fazer compras presencialmente é uma experiência simples. Muitas gestantes ficam inchadas, com dificuldade de mobilidade e precisam ir ao banheiro várias vezes, o que acaba tornando as compras cansativas. Dessa forma, mesmo após a quarentena, o enxoval on-line segue sendo uma opção prática e muito recomendada.

Artigos relacionados