Puerpério – O primeiro grande teste do amargor de um período “obrigatório”

Por Renata Meletti
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Imagem: Canva
Imagem: Canva

Ah o puerpério… sempre, sempre me referi a este período como a vivência mais A-normal da chegada de um bebê.

Sentimentos tão contraditórios em organização e desorganização plena. O bom e o ruim querendo se comunicar, mas em intenso conflito. A alegria e a tristeza brincando de pega-pega. O bebê que chora a qualquer hora do dia, da noite, da madrugada… as janelas dos vizinhos quase 100% fechadas e apagadas no silêncio da madrugada e sua casa em cansaço descomunal, iluminação em meia luz. Com ou sem suporte ele vai acontecer. É um período de adaptação e acomodação. Físico, mas também, muito emocional / psicológico.
Vulnerabilidade é a palavra de ordem.

Mas há um mantra que descobri, me concentrei e levei quase como oração, e que deu certo por ser real.

Este mantra é o:
VAI PASSAR!

Por mais cuidado, olhar e acolhimento à todas as mulheres-mães no puerpério.

Minha imensa solidariedade.

Artigos relacionados