Black Friday: 8 dicas para os pais aproveitarem as promoções sem caírem em roubadas

Compras por impulso levam ao acúmulo de produtos desnecessários
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Imagem: Freepik
Imagem: Freepik

A Black Friday já está entre os principais eventos do calendário do varejo físico e do comércio eletrônico. E mesmo com a pandemia, a previsão para este ano é de crescimento. De acordo com Ebit/Nielsen, a alta deve ser de 27% nas vendas na comparação com o ano anterior, considerando a quinta e a sexta-feira. Mas como evitar as compras por impulso e as fraudes?

Para a fundadora da Ops!Cresci, Natália Mennocchi, o primeiro passo para evitar entrar numa roubada é fazer um planejamento. “Muitas pessoas acabam se empolgando ao ver os descontos e compram coisas que não precisam. Na Ops!Cresci focamos no movimento oposto. Acreditamos que as pessoas devem evitar o consumo excessivo e aumentar o ciclo de vida dos produtos, por meio da compra e venda de usados”, explica.

A empresária lembra, ainda, que é comum os pais não resistirem ao ver os produtos. Isso porque eles são desenvolvidos justamente para criar um apelo afetivo, para que os pais visualizem os filhos usando as roupas ou brincando com os brinquedos. Por isso, é preciso ficar alerta e respirar fundo antes de apertar “confirmar”.

Veja as dicas para fazer compras sem se arrepender:  
  1. Crie uma lista: parece óbvio, mas a maioria das pessoas não lista o que precisa ser comprado. Ao fazer este exercício, o consumidor já tem a chance de eliminar muitos itens por perceber que são desnecessários.
  2. Pesquise com antecedência: já ouviu falar no famoso “compre pela metade do dobro”? Para evitar cair numa roubada, pesquise os preços antes de chegar o dia da promoção. Algumas ferramentas, inclusive, contam com a opção de verificar a variação de preço nos últimos meses.
  3. Crie um alerta: use os sites de comparação de preço para saber os locais mais baratos. E aproveite para criar um alerta com o valor que gostaria de pagar. Dessa forma, a ferramenta avisará, caso o produto entre em promoção.
  4. Pesquise as lojas: neste período do ano é comum surgirem sites fraudulentos, em que o consumidor compra e não recebe o produto, ou ainda, tem seus dados clonados. Por isso, dê preferência às lojas conhecidas e, no caso de uma loja desconhecida, fique alerta. Verifique a reputação da loja no Reclame Aqui e pergunte aos amigos se já compraram no site em questão.
  5. Não clique em links suspeitos: neste período também é comum o recebimento de e-mails de promoções com links que direcionam para sites falsos. O consumidor acaba fazendo a compra, mas não recebe o produto. Por isso, prefira entrar diretamente no site por meio do buscador.
  6. Verifique as opções de pagamento: observe se o site conta com cadeado na barra de endereços e selos de segurança. E, em caso de pagamento com cartão, opte por gerar um cartão on-line para fazer a transação.
  7. Confira o prazo de entrega: algumas lojas de artigos de bebê contam com prazo de entrega superior a 30 dias por venderem produtos importados ou fabricados em cidades do interior. Por isso, verifique se o prazo atende a sua necessidade.
  8. Verifique o valor do frete: sempre leve em consideração o valor do frete na hora de comparar os valores das lojas.

Natália reforça que, no segmento de artigos de segunda mão, sempre é Black Friday. “Os consumidores não precisam esperar pela Black Friday para comprar produtos com até 70% de desconto. Ao optar por usados, que são vendidos em plataformas seguras, eles têm a possibilidade de comprar produtos infantis praticamente novos com valores extremamente competitivos”, reforça.

Artigos relacionados

Assine nossa newsletter


Siga-nos

Publicidade

Mais lidos