Como comemorar Natal e Ano Novo com segurança

Especialista alerta sobre o perigo das reuniões e a melhor forma de prevenir o contágio
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Família comemora Natal de máscara
Imagem: Freepik

As festas mais esperadas do ano estão chegando, mas dessa vez o Natal e o Ano Novo serão diferentes. Isso porque, as taxas de transmissão do covid-19 voltaram a subir no País e há risco de sobrecarga dos sistemas de saúde, caso as tradicionais manifestações de afeto não sejam revistas.

“Com um aumento significativo e agudo no número de casos, teremos fatalmente aumento de casos graves e isso pode, sim, causar uma sobrecarga importante, para todo o sistema de saúde público e privado em nosso país. Por isso, todo cuidado é necessário neste momento”, explica a Dra Camila Luizetto, coordenadora do Pronto-Socorro Infantil do Hospital 9 de Julho.

Para entender melhor o cenário atual e as medidas preventivas que devem ser tomadas durante as reuniões de Natal e Ano Novo, o iMom conversou com a especialista.

 

iMom: Sabemos que reunir a família no Natal faz parte da cultura dos brasileiros, mas os números de covid voltaram a subir. É recomendado que as famílias se reúnam nas festas deste final de ano?
Dra Camila Luizetto: Reunir a família no Natal é uma tradição muito forte e importante em nossa cultura e com importância religiosa para muitas pessoas. Sei que muitas pessoas não se reuniram o ano todo, esperando, ao menos, poder se reunir com os familiares no Natal, mas ainda não recomendamos que as famílias se reúnam neste momento. O ideal seria que se reunissem apenas os que moram na mesma casa e que o encontro com os demais familiares fosse apenas virtual, com uma ceia on-line, por exemplo.

iMom: Quais as recomendações, caso os familiares resolvam se reunir e não façam parte do mesmo núcleo (não vivam na mesma casa)?
Dra Camila Luizetto: O recomendável seria reunir poucas pessoas, evitar reunir muitos núcleos familiares (2 a 3 no máximo). Atentar para a lavagem de mãos e uso de álcool gel, usar máscaras o tempo todo, permanecer ao ar livre ou em ambientes bem arejados, e evitar abraços, para manter o distanciamento social. Se possível, evitar que todos comam ao mesmo tempo, para que as pessoas não precisem ficar sem máscaras ao mesmo tempo.

iMom: Qual o número máximo de pessoas que pode se reunir?
Dra Camila Luizetto: Não há um número definido, deve ser o menor número possível, porém recomenda-se que sejam menos de 10 pessoas.

iMom: Quais os cuidados com idosos e grupos de risco?
Dra Camila Luizetto:
O ideal é que famílias com pessoas de maior risco evitem se reunir com pessoas de outros núcleos familiares. Se isso não for possível, redobrar a atenção e os cuidados com a higienização de mãos, o uso de máscaras e o distanciamento.

iMom: É mais seguro se reunir em casa ou em um restaurante?
Dra Camila Luizetto: Sem dúvida é mais seguro se reunir em casa, pois conseguimos manter mais cuidados, controlar nossa exposição (nós escolhemos quem entra em nossa casa, em um restaurante não) e praticar as medidas preventivas mais efetivamente.

iMom: Quais as dicas para deixar a casa o mais segura possível?
Dra Camila Luizetto: Proporcionar formas de higienizar as mãos para todos desde a chegada até o final da comemoração, tentar montar a mesa com as cadeiras mais distantes e escolher o ambiente mais arejado da casa para fazer a reunião.

iMom: Qual o distanciamento necessário? Qual a sugestão para que o distanciamento seja cumprido em festas?
Dra Camila Luizetto: O distanciamento recomendado é de, no mínimo, 1,5m. A sugestão seria já deixar as cadeiras com o distanciamento adequado, já deixar pratos e talheres colocados no lugar e uma pessoa servir a todos, caso seja uma refeição, e evitar que as pessoas fiquem circulando.

iMom: Quais os cuidados na hora de se servir a refeição?
Dra Camila Luizetto: O ideal seria uma pessoa para servir a todos, para evitar que todos manipulem os talheres de serviço. Quem for servir deve se manter de máscara, em silêncio e higienizar bem as mãos antes.

iMom: Como fazer para que o momento das refeições (sem máscara) não se transforme em um possível momento de contágio?
Dra Camila Luizetto: Se possível, evitar que todos comam ao mesmo tempo, manter o distanciamento ao comer, tirar a máscara apenas para comer e beber, e recolocar a seguir, sempre higienizando as mãos antes e depois de tocar a máscara (pegando a máscara pelos elásticos). O anfitrião pode providenciar saquinhos de papel ou plástico para que as pessoas coloquem suas máscaras enquanto comem, pedir a todos que evitem falar e conversar enquanto estão sem máscara.

iMom: É indicado que cada um leve os seus talheres?
Dra Camila Luizetto: Não é necessário, mas é importante que os talheres, copos e pratos não sejam compartilhados e que sejam higienizados com cuidado antes e depois da refeição. Seria ótimo que cada um lavasse os utensílios que utilizou após o uso. Outra opção seria o uso de luvas ao recolher pratos e talheres e para realizar a higienização dos mesmos, ou ainda, optar pelo uso de utensílios descartáveis.

iMom: Os familiares devem fazer isolamento antes de se encontrarem?
Dra Camila Luizetto: Seria ideal que as pessoas evitassem, ao máximo, se exporem antes de se reunirem, evitando ir a mercados e lojas na semana que antecede o Natal (é preferível realizar o máximo de compras on-line) e tomando muito cuidado caso isso seja muito necessário. Além disso, pedir a todos que, caso sintam qualquer mal-estar, que avisem aos demais e que não compareçam à reunião familiar.

iMom: O teste de farmácia antes do encontro é válido?
Dra Camila Luizetto: Os testes de farmácia, em geral, detectam anticorpos circulantes no sangue dos pacientes contaminados, mas a produção dos mesmos demora para atingir níveis detectáveis. Muitas vezes esses exames só dão resultado positivo após muitos dias de sintomas, sendo muito comum darem falso-negativos. O ideal é que apresentando qualquer sintoma como cefaléia, coriza, febre, tosse, mal-estar, mesmo leves, a pessoa procure ficar isolado, evitando expor seus familiares.

iMom: Se a família já teve covid, ela pode ficar tranquila?
Dra Camila Luizetto: Os cuidados devem ser mantidos por todos, até porque já há registros de casos de reinfecção.

iMom: Beijos e abraços estão liberados?
Dra Camila Luizetto: Infelizmente não!

iMom: O brinde está liberado?
Dra Camila Luizetto: Este ano o brinde deve ser sem encostar as taças…sugiro erguer as taças no ar, mas evitar o tim-tim!

iMom: Como trocar os presentes de forma segura?
Dra Camila Luizetto: Higienizando as mãos antes de entregar o presente e ao receber e abrir, higienizar as mãos após.

Artigos relacionados