Tempos de correria infinita

Por Silvia Regina Angerami
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
correria
Imagem: Canva

Eu me lembro claramente da cena: no dia em que cheguei em casa com meu bebê primogênito no colo, tive a nítida sensação de que a minha vida jamais seria como era até então. Percebi que a casa estava diferente, mais bagunçada, tinha mais uma vida ali, e isso mudava tudo.

Quando eu estava grávida, as pessoas me diziam assim:

— Sua vida vai mudar, você vai ver.

Eu achava aquilo um tanto quanto exagerado e não acreditava no que elas diziam. Como é que a minha vida ia mudar tanto assim?

Mas naquele instante em que voltei da maternidade com meu filho nos braços tive certeza: minha vida jamais seria a mesma.

E que bom! Que ótimo! Quem fica parado é poste, não é mesmo?

Mas o título deste artigo diz respeito à correria. E pela minha experiência, do alto dos meus 62, quase 63 anos de idade, eu posso dizer: ninguém neste Planeta Terra corre mais do que uma mãe. Por mais que hoje os pais “ajudem” – e, veja bem, nem concordo com esse termo, porque se o pai “ajuda” significa que a tarefa principal continua sendo da mãe, quando deveria ser compartilhada de igual para igual. Mas desde que a gestação ocorre dentro da barriga da mãe e o leite materno está no seio da mãe… isso já coloca o pai em outro lugar.

Hoje em dia, com esse cenário de pandemia, tem muita gente no esquema de home office. Teoricamente, deveríamos ter mais tempo livre, não? Não sei você, mas aqui em casa, a coisa mais escassa é o tempo.

Outro dia, eu estava participando de uma live e agradeci de todo o coração às pessoas que ali estavam dedicando o seu “tempo” – nosso bem mais precioso nos dias de hoje — para me ouvir falar.

Eu realmente acho que o tempo é o nosso tesouro. E a nossa tarefa então seria nos equilibrarmos no presente – outro dia, o Lufe Gomes (do canal do YouTube Life by Lufe) disse que o “agora” é infinito e eterno. Eu nunca tinha pensado nisso. Mas eis aí uma grande verdade.

Então, agora que estamos no Dia das Mães, desejo a todas elas que sejam sábias com a administração do seu tempo, da sua agenda, dos seus afazeres, e que consigam ter um tempinho só para elas mesmas. Só isso já será um enorme PRESENTE, se é que você me entende…

Manda e-mail pra mim: sangerami@gmail.com

 

Artigos relacionados