31% das brasileiras não conseguiram amamentar seus filhos exclusivamente por 6 meses

Embora a Organização Mundial da Saúde recomende a amamentação exclusiva, não são todas as mulheres que conseguem.
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no print
Print
Imagem: Canva
Imagem: Canva
Dia 1º de agosto começa a semana mundial de aleitamento materno, que vai até dia 7, e que este ano tem como tema “proteger a amamentação: uma responsabilidade compartilhada.” Um dos objetivos desta semana tão importante, é manter a amamentação exclusiva durante os seis primeiros meses de vida, conforme recomendam a OMS – Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde. Afinal, as fórmulas e leites especiais não são capazes de imitar fielmente a composição do leite materno.

 

Porém, conforme constatou a Famivita em seu mais recente estudo, 31% das brasileiras não conseguiram atingir o objetivo de amamentar seus filhos, exclusivamente por seis meses. E os dados por estado demonstram que o Tocantins é o estado em que mais mulheres amamentaram exclusivamente, sendo que somente 10% não conseguiram. No Rio de Janeiro, 30% das entrevistadas não atingiram esse objetivo e, em São Paulo, 35%. Já o Rio Grande do Sul é o estado em que menos mulheres amamentaram exclusivamente por seis meses, com 41% das participantes.

 

A falta de orientação adequada na hora de amamentar pode causar dor e dificultar a pega pelo bebê. Porém, é muito importante que a mãe busque informações e não desista, uma vez que o o leite materno tem tudo que o bebê precisa para crescer saudável.

 

Clique aqui para conferir nossas matérias sobre amamentação e entenda como tornar esse processo mais simples.

Artigos relacionados